Postado em: 5 de junho de 2018
O SEGURO DE TRANSPORTES PODE SER A SOLUÇÃO PARA A ECONOMIA DE EMPRESAS DURANTE GREVES

A recente paralisação dos caminhoneiros teve forte impacto em todos os setores da economia. Segundo estimativas, as perdas com mercadorias que não puderam ser entregues devem superar a cifra de R$ 10 bilhões, não considerados neste montante produtos importados e exportados.

João Carlos Machnick, CEO da Atix Corretora de Seguros, alerta para a importância do tipo de coberturas no seguro de transportes também para o dono da mercadoria.

“O seguro de transportes garante prejuízos às cargas em decorrência de ‘greves’ apenas nas apólices dos embarcadores (donos das cargas) e mediante inclusão de cláusula específica. Como via de regra, pagando-se prêmio adicional. Porém, no universo total de donos de cargas que compram seguros, bem menos da metade adquire esse tipo de cobertura que, numa situação prática, não garante prejuízos, por exemplo, quando uma mercadoria perecível estraga por não ter chegado ao seu destino por força de atraso causado pela greve”, afirma o executivo.

Machnick esclarece, ainda, que o Decreto 61.867, de 1967, estabelece obrigatoriedade de contratação do seguro de transportes para embarcadores e transportadores. Porém, cada qual com o tipo de apólice mais apropriado à sua posição no contexto operacional, não havendo, como muitos confundem, a duplicidade de contratação.

DEIXE UM COMENTÁRIO